Presente em diversas entradas e pratos principais, o camarão, além de delicioso, é considerado uma proteína completa por ter alto valor biológico e todos os aminoácidos que nosso corpo precisa. Mas, como qualquer outro produto, é preciso se preocupar com a segurança alimentar na hora de comprar os pescados.

Aliás, uma das principais preocupações surgidas com a pandemia que eclodiu em 2020 foi a respeito da manipulação dos alimentos. Cada vez mais pessoas passaram a se preocupar com as condições de segurança em que foram produzidos os alimentos.

Apesar de muitas especulações a respeito da transmissão do novo coronavírus por meio de alimentos, a ANVISA, a OMS e outras entidades internacionais de controle sanitário indicam que não existe transmissão da Covid-19 por meio dos alimentos. Portanto, o coronavírus não é considerado uma DTA – Doença Transmitida por Alimentos.

Fato é que, para todos os tipos de produtos – e isso inclui os pescados – é fundamental que sejam avaliadas as possíveis formas de contaminação. Dessa forma, as avaliações abrangem todas as etapas, seja no processo de manipulação ou na produção dos alimentos.

É muito importante que principalmente os restaurantes, mercados e outros estabelecimentos que compram por atacado, adquiram produtos com o Selo de Inspeção Federal (S.I.F), ou seja, que possuam garantia de rastreabilidade.

Essa rastreabilidade inclui o conhecimento de todas as etapas em que aquele produto passou. Ou seja, inclui saber se foram tomadas todas as medidas de higiene e se o estabelecimento seguiu as recomendações dos órgãos públicos.

Nos estabelecimentos do setor de pescados, a inspeção do Serviço de Inspeção Federal possui caráter periódico e a fiscalização ocorre de acordo com a classificação de risco do estabelecimento, incluindo o conhecimento de todo histórico de atendimento à legislação.

 

FONTE – Food Magazine