CIRCULAR Nº 30/2020

Osasco, 10 de agosto de 2020.

Na última sexta-feira, 7/8, o governo do Estado de São Paulo surpreendeu ao anunciar a volta das cidades da região, Osasco, Barueri, Carapicuíba, Itapevi, Santana de Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus e Jandira, da Fase 3 – Amarela para a Fase 2 – Laranja do Plano São Paulo.

A fase Laranja, para a qual o governo determinou que os municípios da região retornem, não permite a abertura de bares e restaurantes, apenas sistema delivery e take away. Já na Fase Amarela, onde as cidades estavam inseridas, era permitida a abertura de bares, restaurantes e similares com capacidade de 40%, horário reduzido a 6 horas, consumo local até às 22h para cidades que estivessem a pelo menos 14 dias seguidos na Fase Amarela, além da adoção dos protocolos geral e setorial específico.

▪️ No sábado, 8/8, o prefeito de Osasco, Rogério Lins se manifestou, em rede social, contrário à decisão do Governo Estadual e afirmou que a prefeitura pedirá uma reavaliação do governo do Estado e vai entrar na justiça pedindo para a cidade não regredir de fase.

▪️ O prefeito de Barueri, Rubens Furlan, também se manifestou sobre a decisão, mas afirmou que a cidade permanecerá na Fase Amarela, já que, de acordo com ele, todas as exigências estabelecidas pelo estado, estão sendo cumpridas rigorosamente. Ainda segundo Furlan, será prorrogado o decreto municipal que colocou o município na Fase Amarela.

▪️ O prefeito de Itapevi, Igor Soares, também se pronunciou sobre o anúncio e se mostrou surpreso com a decisão. De acordo com o gestor, a prefeitura também ingressará na justiça com pedido para que a cidade seja mantida na Fase Amarela.

▪️ O prefeito de Carapicuíba, Marcos Neves, também solicitou ao estado que reavalie a situação da cidade para que o retorno à Fase Amarela aconteça o mais breve possível. Mesmo assim, Carapicuíba publicou o Decreto 5.026 alterando a cidade da para a Fase Laranja do Plano São Paulo.

O presidente do SinHoRes Osasco – Alphaville e Região, Edson Pinto, reconhece o esforço dos prefeitos em lutar contra o fechamento dos estabelecimentos e também entende que não deva ocorrer o retrocesso para a Fase 2 – Laranja. “Os responsáveis não são os bares e restaurantes, pois seguimos todos os protocolos de segurança e as orientações das autoridades. Mas essa indefinição desestabiliza o empreendedor que não sabe mais se demite ou afasta o funcionário; se reduz jornada ou suspende contrato; se refaz o estoque de perecíveis ou aguarda; se renegocia o aluguel ou entrega o imóvel. Hoje, trabalhamos até às 22h, amanhã até às 17h e depois de amanhã tem que fechar tudo, ficando apenas com delivery. Já na semana seguinte, volta tudo novamente. Enfim, a incerteza do amanhã faz pequenas empresas fecharem de vez, infelizmente!”, afirmou Edson.