O presidente do SinHoRes Osasco – Alphaville e Região, Edson Pinto, participou no último dia 17/12, da 5ª edição do São Paulo Tech Week (SPTW), maior festival de inovação do Brasil. Edson será um dos debatedores do Painel de Turismo: Desafios e Oportunidades com o PIX e Meios de Pagamentos Eletrônicos no Turismo e Eventos. Esse ano o evento acontece de 12 a 18 de dezembro e reforça os pilares de Inovação, Tecnologia, Conexão e Geração de Negócios e Pessoas.

Os participantes discutiram como o setor de turismo (hotelaria, gastronomia, eventos, feiras, locação de veículos, parques temáticos, operadoras e agencias de viagens, cruzeiros, atrativos turísticos e esportivos) pode se beneficiar e aumentar competividade e faturamento com as novas tecnologias de meios de pagamento como o Pix, botões de pagamento nos sites, moedas virtuais, entre outras.

Em sua fala, Edson Pinto destacou que essa discussão promovida pela Tech Week tem grande importância para o setor. “Nós, enquanto liderança classista, temos a obrigação de sempre informar e atualizar nossos representados quanto às alternativas tecnológicas que surgem. Hoje, o pequeno tem que se adaptar e se modernizar, porque o concorrente dele certamente vai fazer isso. De modo geral, o pagamento virtual é extremamente vantajoso para as empresas principalmente em relação à segurança e questão de trocos, inclusive com entregas mais rápidas. Além disso, os clientes gostam”.

O presidente do SinHoRes traçou um panorama de como o mercado vem se comportando a cada novidade que surge no mercado. “Se observamos do ponto de vista histórico, antes tínhamos apenas o dinheiro e, para nós era maravilhoso. A liquidez era imediata. Depois surgiu o cheque que demorava alguns dias para cair na conta, mas ainda era rápido, porém, tínhamos que ter um sistema de verificação de cheque. Na sequência surgiram os cartões de crédito, daí a coisa começou a complicar para o lojista, que teve que alugar ou comprar a maquina, pagar tarifas altíssimas de intermediação e ainda esperar 30 dias para receber. A chegada dos cartões de débito melhoraram, mas taxas continuavam altíssimas. E hoje esses dois sistemas de débito e crédito devido a concorrência do setor, já melhorou muito a questão de prazos e tarifas. Agora temos as carteiras virtuais e os botões de pagamento de plataforma de delivery”.

Para ele, o PIX é uma novidade que devia ter chegado antes. “Talvez se o PIX tivesse surgido antes da pandemia, teria solucionado a questão de liquidez. É um modelo bastante promissor, porém, entendo que, que nós, tanto o mercado quanto o governo, temos o dever de descontruir o hábito dos clientes de usar os cartões. Não será tarefa fácil porque o brasileiro gostou e se adaptou ao uso dos cartões”.

Edson destacou ainda que hoje, o grande vilão do setor de Food Service é o vale refeição. “É considerado o inimigo número 1 de bares e restaurantes. Quero fazer um apelo para que alguma coisa seja feita com urgência. Precisamos evitar esse verdadeiro confisco que as empresas de vale refeição inscritas no PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador) impõe com taxas de até 7% e 30 dias para pagar sem negociação”.

Confira: