Recentemente, os canudos plásticos foram parar no centro do debate sobre consumo e consumismo e sobre preservação ambiental.

A grande questão a ser colocada: por que ainda usamos de maneira tão desenfreada um item de plástico que sabemos que, se descartado na natureza, a poluirá por mais de um século, e que será usado somente uma vez – ou seja, uma vida útil de alguns minutos?

Sim, agora os canudinhos de plástico são vilões – com razão. E chegou a hora dos restaurantes e lanchonetes fazerem sua parte.

O McDonald’s do Brasil anunciou que começará a entregar canudos plásticos somente para clientes que o solicitarem. Ou seja, nada de canudo direto na bandeja. Quem não pedir, entende-se que vai preferir tomar o refrigerante, o suco, o chá direto do copo mesmo. A natureza agradece.

Segundo a marca, a iniciativa faz parte dos objetivos globais Scale for Good, sobre mudanças na cultura e no comportamento da empresa para promover ações mais sustentáveis.

A mudança se dará nas lojas da franquia Arcos Dourados do McDonald’s. Nos próximos meses, os restaurantes Arcos Dourados na América Latina e Caribe também adotarão a nova medida sobre os canudinhos.

A rede de fast food Burguer King também resolveu dar adeus aos canudos de plásticos. No lugar, serão oferecidos apenas canudos biodegradáveis feitos de papel. Mesmo assim, só se o consumidor fizer questão do apetrecho.

A mudança também vale para as tampas de plásticos que acompanham as bebidas, que só serão distribuídas se solicitadas.

O novo esquema é válido para todas as 700 lojas da rede no Brasil e entra em operação em setembro. Até lá, ainda será possível encontrar as versões em plástico, mas elas não serão mais entregues de forma proativa pela empresa.

Para alguns produtos, como os shakes, que são mais sólidos, a marca está desenvolvendo um canudo próprio, de papel, para se adequar. A previsão é que em novembro os itens já estejam disponíveis para todos os consumidores.

Pelos cálculos do Burger King, a mudança evitará o uso de 31 milhões de canudos por ano.

Fonte: Textos adaptados da Exame