Um dos hotéis mais conhecidos no mundo e um ícone da hospedagem de luxo no Brasil, o Hotel Belmond Copacabana Palace, foi vendido na última sexta-feira, 14. O acordo milionário foi de US$ 3,2 bilhões pagos a Rede Belmond, proprietária do hotel, assim, como outras 45 propriedades de hotéis de luxo, restaurantes, trens e cruzeiros fluviais.

As propriedades emblemáticas de Belmond incluem hotéis como Hotel Cipriani em Veneza, Hotel Splendido em Portofino, Copacabana Palace no Rio de Janeiro, Le Manoir aux Quat’Saisons em Oxfordshire, Grand Hotel Europe em São Petersburgo, Maroma Resort & Spa no México, Hotel das Cataratas no Parque Nacional do Iguaçu, no Brasil, e Cap Juluca, em Anguilla. Trens lendários, como o Veneza Simplon-Orient-Express e Belmond Royal Scotsman e cruzeiros excepcionais como Belmond Afloat na frota francesa e Belmond Road para Mandalay, completam um portfólio que oferece experiências extraordinárias com atividades selecionadas.

A aquisição foi feita pelo conglomerado francês LVMH Moêt Hennessy que possui o controle de marcas de alto luxo como: a Louis Vuitton, Veuve Clicquot, Moêt & Chandon e Fendi. O grupo francês já é dono do hotel Cheval Blanc, nos Alpes franceses, além da rede de hotéis Bvlgari. Através desta aquisição, a LVMH aumentará significativamente sua presença no mundo dos hotéis de luxo. Sinônimo de história, patrimônio e experiências atemporais, Belmond tem uma equipe de gerenciamento experiente e é um complemento ideal para as maisons do Cheval Blanc, renomadas por seu serviço excepcional, arquitetura e gastronomia única.

Nos doze meses encerrados em 30 de setembro de 2018, a Belmond registrou receita total de US $ 572 milhões e EBITDA ajustado de US $ 140 milhões. A transação deverá ser concluída no primeiro semestre de 2019, sujeita à aprovação dos acionistas da Belmond e à liberação das autoridades de concorrência relevantes. A venda do Copacabana Palace mostra que os investidores estrangeiros estão de olho no Brasil e em especial, no Rio de Janeiro.

Fonte: Revista Hotéis