O presidente da República, Jair Bolsonaro, informou que o governo deve iniciar nos próximos dias estudos para atender o setor de bares e restaurantes, afetado por políticas de restrição do funcionamento do comércio adotadas por governos locais por conta da pandemia da covid-19.

Estão na pauta a prorrogação da carência para pagar empréstimos no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), ajuda para empresas em relação ao Simples Nacional, regime de tributação especial, e a mais relevante a prorrogação da suspensão dos contratos de trabalho e redução de salário com redução de jornada.

Na ocasião, o presidente criticou as políticas de restrição de horário para o funcionamento do comércio adotadas pelo governo de São Paulo e pela prefeitura de Belo Horizonte (MG). “Tem um Estado que ao fechar tudo a partir das 20h e sábado e domingo, também, atinge diretamente atinge o coração de garçons, donos de bares e de eventos, bem como o mesmo problema está acontecendo na capital BH (Belo Horizonte)”, comentou.

O Presidente do SinHoRes, Edson Pinto, entende que essas medidas de ajuda do Governo Federal, devem ser autorizadas com urgência, já que o Governo Paulista ampliou as restrições sobre o setor sem nenhum tipo de contrapartida financeira. “As empresas estão quebradas, bancando 100% da folha de pagamento, pagando empréstimos, aluguéis atrasados e o movimento caiu 60%. O cenário no setor que mais gera empregos no estado de São Paulo é dramático”, completou.

Com informações – Uol