A COPRAC, pioneira em Consultoria e Projetos de Acessibilidade em atividades oferecidas por empreendimentos turísticos e capacitação de pessoal, tem o objetivo de proporcionar, promover e incluir todas as pessoas com deficiência nas mais variadas atividades, espaços de lazer e meios de hospedagem. Ou seja, adequar o seu empreendimento para a Inclusão Social.

Em parceria com o SinHoRes, a COPRAC realizará a verificação das adaptações arquitetônicas e físicas para acessibilidade no empreendimento e para atividades turísticas; e realizará cursos  de capacitação para atendimento com excelência ao público com as mais diversas deficiências permanentes e temporárias e ao público GLBT.

Vantagens para associados

20% de desconto para Sócios Efetivos – mensalistas

10% de desconto para Sócio Sindical – em dia com as contribuições

Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência em  hotéis e pousadas brasileiras

A Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência em  hotéis e pousadas brasileiras, publicada em março, define os critérios mínimos para acessibilidade nos estabelecimentos.

O texto divide os estabelecimentos em três propostas:

1 – Os já existentes, construídos até 29 de junho de 2004, antes da publicação das normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT);

2 – Os já existentes, construídos entre 30 de junho de 2004 e 2 de janeiro de 2018;

3 – E os novos estabelecimentos, construídos a partir deste ano.

Para o primeiro grupo, o decreto prevê que os estabelecimentos devem atender, em no máximo quatro anos, o percentual mínimo de dez por cento de dormitórios acessíveis, sendo 5% com as características construtivas, com obras estruturantes para atender as normas técnicas de acessibilidade da ABNT; e outros 5% com ajudas técnicas e os recursos de acessibilidade, como a instalação de barras de apoio no box do chuveiro e campainhas sonoras e ajuste da altura da ducha do chuveiro. Para o grupo (2), a regra estabelecida é a mesma.

De acordo com o texto, os novos estabelecimentos, construídos ou com projetos protocolados a partir de 3 de janeiro de 2018, deverão dispor de 5% dos dormitórios construídos seguindo todas as regras da ABNT e os demais 95% devem dispor de recursos de acessibilidade.

O decreto detalha os recursos necessários para os estabelecimentos suprirem totalmente as necessidades das pessoas com deficiência. De acordo com o texto “o atendimento aos princípios do desenho universal nos projetos arquitetônicos de hotéis, pousadas e estruturas similares pressupõe que o estabelecimento, como um todo, possa receber, na maior medida possível, o maior número de hóspedes, independentemente de sua condição física, sensorial, intelectual ou mental, e garantir que essas pessoas possam desfrutar de todas as comodidades oferecidas”.

EXCELÊNCIA EM ATENDIMENTO A UM PÚBLICO NÃO CONVENCIONAL

Chamamos de público não convencional todo aquele que foge as regras da “normalidade” imposta pela sociedade.

Normalmente, não sabemos como nos portar no atendimento a esse público, isso porque somos de alguma forma preconceituosos, não aceitando as diferenças o que resulta nos sentirmos incomodados ou sem saber qual a ação correta, afinal na concepção geral eles são “especiais” ou “diferentes”.
Dentro desse quadro, dois públicos são os que mais deixam as pessoas na chamada “saia justa”, as pessoas com deficiência e o grupo LGBT.

Nossa capacitação visa com que você inicialmente quebre seus preconceitos e que trate com excelência qualquer cliente, aprendendo inclusive a “não dar fora” quando for atendê-los.
Tópicos:  O que é deficiência, Quais tipos de deficiência, Como se portar e agir a cada uma delas, Em caso de acidente como agir com cada uma, Quem é o público LGBT, Como se portar e agir diante cada caso, O que nome social, O que é Excelência de Atendimento.

Contatos:
Luiz Alberto Mercadante  (11) 971141039

Patricia de Campos (11) 942128027

E-mail: [email protected]

Site: www.coprac.com.br

TV SinHoRes e Canal Restaurante abordam acessibilidade em hotéis, bares e restaurantes

Nessa edição do programa TV SinHoRes, uma parceria com o Canal Restaurante, Luiz Alberto Mercadante, Diretor da COPRAC – Consultoria e Projetos em Acessibilidade, do Núcleo de Consultoria do SinHoRes Osasco – Alphaville e Região, fala sobre acessibilidade em hotéis, bares e restaurantes.