Com cerca de 71 mil habitantes, Cajamar possui as atividades industriais como principal fonte de renda devido a quantidade de indústrias que se instalaram na cidade.

Cajamar faz aniversário em 18 de fevereiro, data de grandes festas na cidade; e tem como Padroeiro São Sebastião, celebrado todo dia 20 de janeiro.

Seu nome é derivado da expressão indígena “cai-a-mar”, fruto colorido e manchado produzido pelo araçazeiro, abundante na região na época de sua formação.

Seu território de 135 km² limita-se com os municípios de Jundiaí, Franco da Rocha, Caieiras, São Paulo, Santana de Parnaíba e Pirapora do Bom Jesus. O município tem fácil acesso pela via Anhanguera e pela Rodovia Bandeirantes. Com a implantação do Rodoanel, está conectado às principais vias do estado.

O nascimento de Cajamar está ligado à implantação da fábrica de cimento Companhia Brasileira de Cimento Portland, de origem canadense, na década de 1920, em Perus. Esse material, conhecido das civilizações antigas, recebeu o nome atual, “cimento Portland”, no século XIX, graças à semelhança com as rochas da ilha britânica de Portland.

A Estrada de ferro é conhecida pelo nome “Estrada de Ferro Perus-Pirapora porque a intenção era transportar romeiros até a cidade de Pirapora do Bom Jesus, mas a implantação dos trilhos até lá nunca chegou a ser concluída. Os trilhos vinham de Perus à Cajamar apenas. Devido a isso a estrada tinha uma única utilidade: transportar minério.

Cajamar possui alguns lugares bem interessantes para quem deseja aventura, contato com a natureza, conhecer a história local ou ainda meditar, como:

– Museu Municipal Casa da Memória: acervo com depoimentos e fotos colhidos pelos servidores municipais da Cultura e Turismo das pessoas que fizeram a história do município. A visitação ao museu é gratuita.

Funcionamento: de segunda a sexta, das 8h às 17h (durante a semana das 12h às 13h horário de almoço), e aos sábados das 10h às 16h

– Monastério Grande Sol Central: um local para contemplar as paisagens naturais, animais silvestres e a arquitetura do Monastério, além de aproveitar a tranquilidade do lugar para praticar a meditação,

– Morro da Placa ou Trilha da Placa: localizada entre as cidades de Cajamar e Jundiaí, a Trilha da Placa leva esse nome pois, no alto da Serra do Japi, topo da trilha, existe uma enorme placa de sinalizações para aviões que passam por lá. Na trilha, existem diferentes caminhos para todos os tipos de amantes de trilha, dos novatos até os mais experientes.

Com 50 km de extensão, pode ser feita em veículos com tração 4×4 ou motos próprias para trilhas. Em praticamente todos os finais de semana, grupos de carros e motos se encontram no posto de gasolina da Estrada Tenente Marques, 7572, em Santana de Parnaíba para começarem o caminho até a Trilha da Placa.

A trilha revela lugares lindos, natureza praticamente intocada com animais silvestres como tucanos, macacos, preguiças e lebres do mato.

Enormes pedras, subidas e descidas bruscas e cheias de poeira ou lama, dependendo das condições do tempo da semana caracterizam a trilha, que varia trechos de alta e baixa velocidade com muita frequência, exigindo técnica e velocidade dos aventureiros.

No alto do morro na Serra do Japi, a vista é paradisíaca, podendo avistar as cidades de Cajamar e Jundiaí e os vilarejos pela região.