Esse é um dilema vivido intensamente por proprietários e gestores de hotéis por todo o mundo. Afinal, escolher um cardápio exige conhecimento de público, afinidade com o tema e, claro, aquela passadinha pelas atrações do momento.

Levar em consideração as principais necessidades dos clientes também é um fator que pode facilitar e funcionar como item decisivo no momento da reformulação de um cardápio e, inclusive, na criação dele.

O mesmo vale para hotéis que oferecem serviços avulsos. Se o restaurante do seu negócio é aberto ao público, é essencial considerar o perfil dos clientes. Por exemplo: supondo que o hotel esteja localizado em uma área de grande transição de executivos, na cidade de São Paulo, e este seja o seu perfil de consumidor, não há dúvidas de que o seu cardápio deve ser ágil, para que os consumidores possam escolher de forma rápida, fácil e sem demora.

Por quê?
Bem, um hotel que recebe em suas dependências pessoas que tem o dia a dia agitado, precisam estar conectados com o trabalho e normalmente se reúnem para almoços de negócios, não pode oferecer um cardápio extenso e com pratos que levam quase 1 hora para serem servidos. Concorda?

Então, como construir um cardápio para o meu hotel?

Confira 5 dicas poderosas para que você possa (re)pensar o cardápio do seu hotel e ganhar muito com isso!

Clique aqui para aumentar a foto!


Fonte: NewHotel