Uma pesquisa realizada pela Associação Nacional de Restaurantes apontou um crescimento de 3,5% na alimentação fora do lar, no ano de 2018. Esse número é animador para os empresários da área, que têm boas expectativas para 2019. Para aproveitar ainda mais esse cenário positivo, investir em equipamentos para restaurantes é fundamental. Afinal, somente assim, é possível garantir o preparo de pratos saborosos e uma prestação de serviços de qualidade para os clientes.

10 equipamentos para restaurantes: confira o indispensável 

Os equipamentos para restaurantes devem ser escolhidos com muito critério, para que você tenha a certeza de que está adquirindo a opção mais adequada para o seu negócio.

Deve-se investir em itens para o preparo, conservação e exposição dos pratos que você serve em seu bar ou restaurante. Veja os principais equipamentos que não podem faltar!

1. Masseira

Ter uma masseira é interessante para restaurantes que servem pizzas e petiscos como pastéis, empanadas, entre outros quitutes feitos com massa. Existem diversos modelos desse equipamento e você pode fazer a escolha considerando fatores como o espaço disponível para ele.

O uso da masseira garante que você faça uma massa que é macia por dentro e crocante por fora. Assim, uma sobremesa como uma torta ou strudel de maçã ficará ainda mais deliciosa.

2. Liquidificador industrial

Os liquidificadores industriais são mais robustos e resistentes do que os modelos utilizados em residências. Eles ainda têm versões exclusivas para líquidos e para ingredientes pastosos.

Contar com esse equipamento para cozinha industrial em seu bar ou restaurante pode ser muito útil no preparo de pratos doces e salgados. Além disso, é claro, eles também são utilizados para fazer deliciosos sucos, milk shakes, drinks em geral e outros tipos de bebida.

3. Freezer

Todos os restaurantes e bares precisam ter bons freezers para uso. Somente assim há a garantia que os insumos utilizados para o preparo dos alimentos não estraguem por falta de refrigeração.

Os freezers precisam ser grandes e espaçosos, para que todos os ingredientes e pré-preparos possam ser guardados de forma correta. Dessa maneira, não se corre o risco de o estabelecimento ter prejuízo por conta da perda de alimentos.

4. Prateleiras e estantes

Já para os alimentos que não exigem refrigeração para serem armazenados, como é o caso dos enlatados, de farinhas e alguns tipos de verduras e frutas, recomenda-se o uso de prateleiras e estantes.

O mais interessante é escolher prateleiras em aço-inox e não de madeira, para que os alimentos não sejam contaminados.

5. Buffet para self-service

Restaurantes que trabalham vendendo comida por quilo também precisam de um bom buffet para self-service. Essa escolha é muito importante, uma vez que se trata de um equipamento que é visualizado pelos clientes, que também têm contato direto com ele.

É necessário que os buffets sejam práticos de usar e tenham um layout agradável, que fique em harmonia com a decoração do ambiente. Também é preciso que eles sejam funcionais e mantenham os alimentos sempre quentes, para que os clientes possam saboreá-los.

6. Fritadeira industrial

A fritadeira industrial é muito utilizada, principalmente em bares e lanchonetes, que vendem petiscos como porções de batata-frita, coxinhas, croquetes, pastéis etc. Isso se justifica porque com esse equipamento para cozinha se tem muito mais produtividade do que quando se frita em fogão.

Existem fritadeiras elétricas e também a gás. Na primeira opção, o óleo é aquecido por meio de uma resistência. Já no modelo a gás, é aquecido de forma indireta, pelos queimadores, evitando assim o aquecimento exagerado.

7. Char-broiler

A char-broiler é uma espécie de chapa para grelhar, que lembra uma churrasqueira. Ela pode ser utilizado para o preparo de diversos alimentos, mas seu uso é mais comum em hamburguerias, para assar carnes.

O funcionamento desse equipamento também é a gás e a maioria dos modelos conta com a função de ajuste gradual de chama. Assim, é possível deixar uma carne mais ou menos passada, de acordo com o solicitado pelo cliente.

8. Balança

Algumas receitas exigem que os ingredientes sejam adicionados com as quantidades muito corretas. Qualquer deslize pode fazer com que uma massa fique mais seca ou úmida do que o desejado, por exemplo.

É por isso que ter uma balança é essencial nas cozinhas industriais. A ideia é que você utilize desse equipamento para medir todos os insumos e colocá-los na quantidade exata exigida nas receitas.

9. Fornos

Os fornos são utilizados para o preparo de diversos tipos de pratos assados. Assim, se você serve bolos, pizzas, tortas, entre outros preparos, precisa ter um forno que seja prático para usar.

Os fornos a gás são fáceis de usar e também de limpar, garantindo assim que a cozinha esteja sempre impecável. No caso do equipamento precisar de reparos, existem diversas assistências técnicas especializadas em todo o país, que poderão ajudá-lo.

10. Fogão industrial

E é claro que em nossa lista de equipamentos para restaurantes não poderia faltar o fogão industrial! Ele é como o coração de uma cozinha, pois, quase todos os pratos necessitam dele para serem preparados.

Existem diversos modelos do equipamento no mercado, de modo que você pode escolher o que mais se enquadra no layout e na realidade da sua cozinha. Se o seu bar ou restaurante oferece um cardápio bastante variado, o fogão deve ter quatro bocas ou mais.

Além dos equipamentos para cozinha: os energéticos

Escolher bons equipamentos para cozinha não é suficiente para garantir a satisfação dos clientes e uma boa lucratividade para o seu restaurante. Também é necessário que você invista tempo na escolha dos energéticos mais adequados para utilizá-los.

As fritadeiras, por exemplo, podem ser elétricas ou a gás. Já os fornos, além do gás, também podem ser abastecidos a lenha. É por isso que o recomendado é fazer um estudo para verificar qual das opções é mais vantajosa para o seu negócio.

O uso do gás liquefeito de petróleo (GLP) geralmente é a opção mais econômica para os estabelecimentos gastronômicos. Essa constatação não leva em consideração apenas o preço, mas também as questões relacionadas a armazenagem, transporte e distribuição.

Fonte: Ultragaz Empresas